segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

Guia de Compras: Dicas para comprar bem

De uma maneira geral, temos excesso de oferta em relação à procura. Várias opções de produtos para atender uma mesma necessidade, e mais de um fornecedor para vender um mesmo produto.

Ainda bem! Porque mesmo assim, com tanta competitividade, não faltam motivos para que você possa se arrepender amarga e longamente, por uma compra feita.

Mas vamos lá, o propósito desse artigo é ajudá-lo a se precaver dos principais problemas numa transação e poder comemorar depois ter feito uma compra de sucesso!

1. Quando comprar
Uma regra de ouro diz que a gente deve ter pressa para ganhar dinheiro e ser lerdo para gastar. Isso é tão verdade os vendedores tendem a usar o argumento, em negociações, de que está fazendo uma condição especial válida apenas para aquele momento.

No processo de compras, é fundamental que você entenda que tem a faca e o queijo na mão. O comprador tem que estar no comando! E esteja atento, porque o bom vendedor usa de técnicas poderosas para fazê-lo comprar na hora aquilo que você não tem nenhuma necessidade ou urgência em adquirir. Não entre no jogo deles!

Alguns dos truques utilizados:
• Fazer você se sentir pequeno se não comprar: "Mas você não tem esse valor para gastar? É tão pouco" (mesmo quando o preço é alto);
• Tentar lhe fazer desistir de continuar pesquisando: "Esse preço eu só mantenho enquanto você estiver na loja".

2. Esteja certo do que quer comprar.
Bom, vejamos: você está precisando de um smartphone novo. Ok, isso já é alguma coisa, mas na prática se você não refinar a intenção de comprar seu novo celular, você corre sério risco de gastar mais do que precisa ou de comprar um aparelho que fique travando o tempo todo. De uma forma ou de outra, vai se arrepender.

Você precisará trabalhar a seu favor, pesquisando sobre as especificações do que você quer comprar. No caso do celular, precisaria considerar se teria que ter entrada para dois chips, qual o tamanho da tela, processador e memória (para garantir desempenho suficiente), duração da bateria e marca do aparelho, por exemplo.

Às vezes os vendedores não têm todas as informações, mas em tempos de internet não é muito difícil você passar a saber mais sobre o produto do que eles. Nos sites, muitas vezes faltam algumas informações na página do produto, mas aí você pode ir no site do fabricante ou consultar algum review na internet (vá no Google, escreva o nome do produto junto com a palavra review e confira o que os especialistas estão falando sobre ele). 

Outro aspecto importante que não deveria ser ignorado — e que é um problema com muita frequência — é a garantia e a assistência técnica. Há uma tendência cada vez maior de que as grandes marcas centralizem as assistências técnicas em poucas cidades no país e, se a marca que você escolher não tiver assistência local, você poderá muita dor de cabeça caso ele venha a quebrar.

Depois de definidos os requisitos mínimos, você deveria verificar que modelos atendem suas necessidades e escolher o que custe menos para você (ou ofereça melhores condições de pagamento).

3. Verifique o preço
A minha percepção é que o brasileiro é bem exigente nesse ponto, chegando a comentar que a Black Friday é uma promoção onde tudo sai pela metade do dobro do preço. Não entrando nesse mérito, sugiro que, uma vez sabendo o que você quer, ou tendo algumas opções bem equivalentes, você consulte os preços.

Há alguns sites especializados em monitorar o preço dos produtos nos grandes portais na internet. Experimente fazer uma verificação no Buscapé e/ou no Jacotei.

4. Escolha bem onde comprar
Uma vez que você já sabe o que quer e já teve uma ideia dos preços praticados pelo mercado, já tem condições de decidir onde comprar.

A primeira coisa a fazer é desconfiar das lojas que vendem mais barato. Nas especificações, analise se o produto é usado ou se era de mostruário. Depois de confirmado se o produto é novo mesmo e esse é o seu interesse, então verifique a loja no portal Reclame Aqui. Analise a reputação dela e leia alguns depoimentos. Se você fizer essa consulta antes de comprar, corre bem menos riscos de entrar numa furada. Procure também nesse portal a marca ou o produto que deseja comprar para verificar se ele costuma dar muito defeito.

Por fim, verifique o impacto do frete no preço. Algumas lojas na internet fazem a pegadinha de por o produto bem barato mas cobrar um frente altíssimo no final da compra, quando você põe o CEP. No caso de eletrodomésticos, por exemplo, que costumam ser aparelhos de maior volume, o frete para compra na internet pode não compensar, mas de toda forma vale a pena dar um pesquisada.

Dito tudo isso, vai em frente! E se a compra não der certo, faça sua reclamação na loja ou ao fornecedor, e se mesmo assim não adiantar, ponha a boca no trombone... já falei do Reclame Aqui, não foi?

Este texto não tem a pretensão de ser um guia definitivo de compras ou um manual completo para compras pela internet. Mas podemos construir um, dependendo da repercussão desse texto. Deixe seu comentário, faça sua sugestão, tire sua dúvida.