quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

Discernimento, Atitude e Engajamento

Em Fevereiro de 2016, eu completei 10 anos de prestação de serviços para a WPD e para a sua sucessora no Recife, a Agfa HealthCare. E no final do ano, fui contemplado com uma homenagem.

Não sou ingênuo ao ponto de acreditar que passar muito tempo numa mesma empresa seja necessariamente uma vantagem competitiva, ou que isso necessariamente qualifique um profissional. Sobretudo no mundo atual, onde as mudanças ocorrem em enorme velocidade. Mas ao mesmo tempo, é preciso considerar que passar muito tempo na mesma empresa dá indícios quanto a credibilidade de um profissional, ainda mais se ele se faz ser reconhecido pela organização.

Pensei em três atributos reais que tornaram possíveis essa longa estada na mesma organização, e destacaria as seguintes:

Discernimento. Significa perceber as realidades ao seu redor para além das aparências. Saber antecipar-se aos desdobramentos dos fatos. Ao mesmo tempo, saber distinguir em suas atividades rotineiras o que é relevante para a organização e o que apenas processo defasado e inútil.

Atitude. Tem a ver com autogestão. É a capacidade de gerenciar o próprio tempo e de produzir, para a organização, sem que alguém necessariamente tenha lhe solicitado algo. E quando você perceber que você pode prover algo que a organização necessita e você pode prover, não se deter por julgar se aquilo está na alçada do seu trabalho ou não.

Engajamento. É comprometimento com os resultado do seu trabalho, de sua equipe, de sua organização, mas não só isso. É a capacidade de ir junto, de se mobilizar e viabilizar os planos estratégicos da empresa na parte que lhe cabe. Sem desculpas prontas, mas com a irreverência de quem precisa fazer acontecer, incomodando quem quer se seja para obter os recursos necessários para obter os melhores resultados.

Há muitos atributos que podem fazer diferença na vida de um profissional e nos resultados de uma empresa. Nesse aspecto — ninguém se iluda — ninguém é insubstituível. Cada pessoa, ao seu modo, pode colaborar. O importante é que, onde você estiver, você consiga dar o melhor de si. Não porque a empresa mereça, mas porque você não vai querer ser reconhecido como um profissional medíocre. E, ao se olhar no espelho, terá orgulho do que faz, com uma carreira repleta de significado. Pense nisso!