quarta-feira, 30 de abril de 2014

Cartões de Visita - a composição

Ao longo de minha carreira, tenho observado o descuido de muitos profissionais na elaboração de seus cartões de visita. Esse recurso, resistente aos tempos e às novas tecnologias, não dá qualquer sinal de que venha a cair na obsolescência.

Mas o que devo considerar na hora de compôr meu cartão de visita? Que informações devo pôr?
O cartão de visitas que você entrega a alguém pode vir a ser facilmente repassado, por isso as informações que estarão nele poderão ser utilizadas por qualquer pessoa para chegar até você. Então, tenha cuidado em separar o que é pessoal do que é corporativo.

Ponha seu nome
Da mesma forma como se identifica-se no mercado em sua carreira. Esta é a informação mais importante do cartão.

Nome da empresa
Nem todo cartão de visitas é corporativo, mas quando o é, juntamente com o nome do profissional, torna-se a informação mais importante. Geralmente está identificado através de sua identificação visual - logomarca, e todo o cartão -- o uso das cores, a escolha da tipografia -- deve considerar os aspectos desta identidade.

Cargo, Função e/ou Departamento
Com o medo dos sequestros relâmpagos e outras formas de violência, cada vez mais empresas têm evitado identificar, no cartão de visitas, o cargo do profissional, pondo, no máximo o setor ou departamento onde está alocado.
Profissionais liberais podem e devem identificar o seu ramo de atuação, ou a natureza do seu negócio.

Ponha o número de telefone
Caso você tenha um escritório ou clínica, esse número pode ser suficiente, desde que funcione em tempo integral durante o horário comercial.
O número do celular pode ser estratégico você não passa muito tempo em lugar fixo e precisa se comunicar com frequência, nos mais diversos horários.
Entretanto, se você não é um profissional de plantão, pode ser interessante ter duas linhas e saber se desvencilhar da linha corporativa nos seus momentos de lazer. Todo mundo merece descanso e privacidade de vez em quando. Só ponha o celular "de trabalho" no cartão.
Na dúvida, não ponha. E quando considerar alguém a quem você queira dar números mais exclusivos, escreva a caneta mesmo e entregue à pessoa. Ela saberá reconhecer o tratamento diferenciado.
Não esqueça do código de área.

Ponha o endereço de seu email
Só se você realmente consulta suas mensagens. Não é educado demorar mais de 16 horas comerciais (dois dias úteis) depois de recebê-la para respondê-la.

Como se deve distribuir as informações?
É uma boa prática distribuir as informações entre as mais pessoais e as corporativas. As mais pessoais (como nome, área de trabalho, número de celular e/ou email) podem ser postas mais ao centro, com destaque para o nome, e as corporativas (como endereço tradicional e do website e telefone fixo) devem ser postas numa das margens, de forma mais discreta.

Alguns cartões de visita também põem informações de acesso via rede social, e isso também é uma opção, dependendo apenas da estratégia de comunicação do profissional nele identificado.

Na próxima publicação citarei especificações importantes na hora de levar o trabalho a uma gráfica.