segunda-feira, 9 de setembro de 2013

A necessidade de formação em gestão para profissionais liberais

Transcrevo abaixo texto publicado no portal de saúde Saúde Web (09/09/2013), trazendo a tona um grande ponto de reflexão de minha natureza de trabalho: ajudar profissionais liberais, de todos os setores (medicina, engenharia, advocacia...), a administrar seus serviços, a fim de poder dedicar-se melhor à sua área de conhecimento.

De fato, as faculdades que formam esses profissionais, na imensa maioria dos casos, não se preocupa devidamente em formá-los como empreendedores, restringindo sua formação aos conhecimentos técnicos.

Médicos deveriam ser educados em Administração

“Curar é uma arte, medicina é uma profissão e o mercado de saúde é um negócio”, pondera David Pares, médico CEO do AvalDoc

Nossa longa e árdua formação tem sido somente em Medicina. Não temos na faculdade, residência e pós-graduações quase nenhuma orientação em como gerenciar uma empresa. Logo que saímos a campo, no entanto, nos batemos com a dura realidade: “Curar é uma arte, medicina é uma profissão e o mercado de saúde é um negócio”.

Antigamente, o postulado realmente não se aplicava. Os médicos ainda eram generalistas e em sua maioria com uma clientela bem próxima, tanto pessoal como geograficamente. Entretanto, temos cada vez mais nos deparado com decisões que dizem respeito a negócios.

MBAs em Gestão de Saúde estão na moda e um número crescente de médicos está se matriculando não só neles, mas também em outros como Marketing e Mídias Sociais. A tendência é suprir a lacuna que temos numa formação deficiente por necessidade.

Quando o médico é lançado no mercado, se depara com a maioria dos problemas que qualquer profissional ou empresa enfrenta. Seja abrindo um consultório, que na prática é uma microempresa, ele tem folha de pagamento, custos fixos e variáveis, funcionários, entre outros. Se ele optar por se tornar um funcionário em alguma estrutura maior, o profissional terá que mostrar que para evoluir ou mesmo continuar empregado, o conhecimento em negócios é fundamental.

A estrutura que gira em torno do profissional médico já dispõe de todo o arsenal e quem sofre é sempre o elo mais fraco. As operadoras de saúde, por exemplo, têm especialistas que cuidam para que os custos continuem baixos e as receitas sempre maiores. Mais do que nunca, otimizar os processos de uma clínica médica se faz necessário, a fim de não se tornar refém de convênios e ainda conseguir manter um atendimento humanizado.

A citar, nos Estados Unidos já existem mais de 50 Universidades que oferecem uma formação dupla em Medicina com um MBA. Médicos estão ingressando nesses cursos a fim de aprender a lidar com equipamento, pessoal e marketing, aptidões que hoje são requeridas para se tocar uma clínica ou consultório.

Educação, sem dúvida, é o pilar essencial da Saúde. Mas o aumento de profissionais da área que se arma de conhecimentos e teorias da Administração tem sido vital para lidarmos com as mudanças no mercado.