segunda-feira, 8 de julho de 2013

Por que criar ou atualizar o Plano de Negócios da sua empresa?

Toda empresa precisa de um Plano de Negócios. Trata-se de um mapa, que permitirá à empresa saber onde está e para onde deseja ir, em meio a todos os demais elementos que a circundam. Só assim é possível manter o foco diante das contingências que surgem no meio do caminho...

Nenhum avião levanta voo sem conhecer bem o seu destino. Ele traça um plano de voo, certificando-se, dentre outras coisas, que as condições climáticas de todo o trajeto são favoráveis e que é possível empreender a viagem no horário, no prazo e com os passageiros e bagagem estabelecidos.

Muitas vezes, durante o voo, surgem eventos que o obrigam a reavaliar as premissas estabelecidas. Mudança brusca no clima durante o trajeto, indisponibilidade momentânea do aeroporto para aterrissagens ou até mesmo falhas mecânicas. Entretanto, na maior parte das vezes, essas situações já foram previstas e os pilotos sabem como lidar.


Assim é com o empreendedor. Ele tem o plano de voo que é o Plano de Negócios. E, ao longo de seu trajeto, ele precisará manter atualizado o Plano de Negócios para saber lidar com as contingências que surgem, minimizando os prejuízos e, quando possível, ainda tirando proveito. São cenários que ele antecipa para as mudanças a qual estará sujeito pela própria natureza do mercado.

Como se percebe, o Plano de Negócios não é um documento velho, usado apenas para se abrir uma empresa. Ou, mesmo para uma empresa que foi aberta sem um Plano de Negócios, não há porque não começar a contruí-lo o quanto antes, a fim de obter o melhor proveito possível do negócio ao qual desbrava.

O Plano de Negócios põe a empresa no futuro. Uma boa prática seguida pela maioria das empresas estabelece o longo prazo como sendo cinco anos à frente. Então, o Plano de Negócios traçará objetivos e metas que vão do estratégico (para o longo prazo), tático (para o médio prazo) e operacional (curto prazo). Assim, fica traçado o trajeto da empresa.

Entretanto, outra boa prática é revisar esse planejamento anualmente. Ou, quando é possível, semestralmente ou diante de uma grande mudança de mercado, que inviabilize o que havia sido planejado. Essa atualização anual do Plano de Negócios sempre jogará a empresa cinco anos à frente, revisando todas os objetivos e metas anteriormente estabelecidos, criando outras que agora venham a ser necessárias e descartando o que não for mais relevante.

Além do mais, o Plano de Negócios funcionará como um mapa, uma bússola, entre uma revisão e outra. Quando surgirem até mesmo questões do dia-a-dia, bastará olhar para a visão que se estabeleceu para a empresa (esse mesmo objetivo a longo prazo), para se saber qual decisão tomar: aquela que me permitirá chegar melhor ao resultado desejado. Então, o Plano de Negócios evitará que os gestores percam o foco nas decisões do dia-a-dia.

Ninguém deve se enganar. O fato de alguma empresa estar muito bem no mercado hoje sem um Plano de Negócios formalizado, no papel, não significa que ela está segura. É só olhar para trás para ver que muitas gigantes de mercado já vêm caindo no esquecimento... Não tenha dúvida de que, essas empresas, ou não tinham um Plano de Negócios, ou ele não era bom o suficiente!